Semeghini quer ‘conexão’ com os jovens

em Notícias 378 visualizações

Secretário de Gestão Pública de Alckmin lança programa para ampliar divulgação de dados pela internet, defende modernização dos serviços e interação com uso de rede sociais pelo governo

Modernidade. Inovação. Transparência. Integração radical. São palavras que o secretário estadual de Gestão de São Paulo, Julio Semeghini, usa para falar como pretende “conectar” o governo com a população, especialmente os jovens que surfam na rede. No comando da pasta que gerencia o modelo de internet do estado, o deputado federal reeleito pelo PSDB, que se licenciou do cargo para ser secretário, quer divulgar dados do governo pela internet, colher sugestões e fazer uso de rede sociais, como Twitter, para colocar ações em prática. Foi por essa ferramenta, por exemplo, que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) nomeou secretários. O primeiro passo rumo às inovações tecnológicas será dado na Campus Party, megaencontro de informática, que começa nesta segunda-feira (17) em São Paulo, com o lançamento do novo modelo do site governo aberto, o www.governoaberto.sp.gov.br.

 

Em entrevista exclusiva ao BOM DIA, o tucano discorre ainda sobre mudanças no Detran e o futuro do PSDB, após a derrota na eleição presidencial. “Precisamos encontrar um caminho para valorizar a área social.” Leia abaixo os principais trechos da entrevista.

Desafio na gestão

Sou uma pessoa que gosta muito da área de ciência e tecnologia. É um setor em que a gente ajudou a construir um marco regulatório. O Brasil hoje tem leis excelentes para pesquisadores, orçamento para eles receberem bolsa. Acho que posso contribuir hoje mais no Executivo do que no Legislativo. Temos de agilizar a utilização de tecnologia, agora, no Executivo. Inovar a forma de gestão do poder público. No fim de ano foram usadas as tornozeleiras eletrônicas para os presos. Isso recebeu muitas críticas, mas na verdade é um avanço enorme. Nas escolas, podemos utilizar mais lousas digitais.

Governo Aberto

Queremos mudar e fazer um grande ambiente para a sociedade interagir. Vamos lançar na segunda-feira [nesta segunda-feira (17)] na Campus Party, com o governador, o programa Governo Aberto, que vai disponibilizar dados para que a sociedade acompanhe mais de perto e controle o governo. Mas não só isso, a sociedade pode dar sugestões, cobrar, medir a eficiência do que está dando certo ou errado através dessa grande rede de computadores. É uma mudança radical no ambiente de internet na forma como o estado se relaciona com a sociedade. Disponibilizar banco de dados tipo quantos alunos nós temos, qual a localização das escolas, os dados dos crimes. É importante que cada delegacia regional informe onde acontece os crimes. É uma coisa interativa. Vamos abrir nossos dados para a sociedade fiscalizar, dar sugestões. Podemos receber até informações do que está acontecendo.

Uso Colaborativo

A Prefeitura de Nova York fez projeto recente que deu certo. É uma coisa muito moderna. Vamos lançar primeiro grupo com mais de 20 bancos de dados. Isso é o começo. A palavra chave hoje nessas questões da internet é o uso colaborativo. É um jogo aberto de confiança e inclui o cidadão no processo para melhorar os índices da vida dele. O cidadão tem o direito de saber como está o andamento da obra. Vamos divulgar pelo menos 20 bancos de dados. Por exemplo, onde tem equipamento do estado, onde tem escolas. onde estão os imóveis do estado. É preciso divulgar nosso banco de dados se as informações não forem sigilosas ou estratégicas, é claro. Alckmin quer um governo com metas e a gente quer deixar as metas abertas e mostrá-las.

Mudança no Detran

Alckmin criou comissão para estudar mudanças no Detran, que pode vir para a Gestão ou ir para a Secretaria da Fazenda. Independentemente disso, parte dos serviços do Detran vai para o Poupatempo. E também podemos disponibilizar mais serviços pela internet. Um exemplo, é quando se tira a carta de habilitação pela primeira vez. Na verdade é uma licença de um ano para dirigir. Depois de um ano tem toda burocracia para tirar a carta definitiva. A pessoa pode mandar uma mensagem e o governo verifica se tudo está certo e manda a carta definitiva. Estamos fazendo uma lista de quais serviços que poderão ser feitos pela internet. Nossa intenção é dar tratamento, no padrão do Poupatempo, dentro dos órgãos que terão serviços do Detran. Toda essa parte de corrupção vem junto com essa confusão criada pela dificuldade de acesso aos serviços. Se informatizar e tiver transparência no atendimento direto do governo a gente agiliza e define com clareza os espaços do despachante.

‘PSDB precisa encontrar o caminho’, afirma secretário

Depois de perder a terceira eleição presidencial seguida, com a derrota de José Serra para Dilma Rousseff, o PSDB tem de “encontrar o caminho” para fazer propostas mais centradas na área social. “O partido precisa mostrar que fizemos ótimos governos. Somos um grande gestor. Mas temos deixado transparecer no discurso, no marketing, que a parte social não é tão importante”, afirmou. “O partido precisa achar um caminho e participar mais da sociedade organizada.” O secretário disse que Alckmin e o senador Aécio Neves são bons nomes de presidenciáveis, mas ainda considera Serra “também muito forte.” “Temos de trabalhar muito na unidade do partido e depois ver quem vai disputar.”

Governo analisa contratos

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) determinou análise de todos os contratos do governo estadual. Entre eles, os contratos de concessão de rodovias. Alckmin prometeu reduzir tarifas na campanha.

Secretário promete ampliar poupatempo

Unidades do Poupatempo vão ser entregues pelo governo estadual neste semestre, segundo o secretário Julio Semeghini. Segundo o ele, novas unidades serão abertas, a princípio, em Araçatuba, Marília e Botucatu, no início de fevereiro. Também está prevista a entrega do Poupatempo de Sorocaba no primeiro semestre deste ano. Neste sábado (15), Semeghini participou de inaugurações de obras em Fernandópolis, base eleitoral dele na região de Rio Preto. O secretário diz que pretende levar unidades do Poupatempo para outras cidades da região, além de Rio Preto. “Temos de achar uma forma de atender a região de Jales, Fernandópolis e Votuporanga, que estão longe de Rio Preto. O Poupatempo precisa ser ampliado”, disse Semeghini.

Fonte: Rede Bom Dia
Data: 16.01.2011